terça-feira, 25 de outubro de 2011

Um tio, dois tios...

Preciso pedir desculpas pela falta de comentários nos blogs amigos, mas meu computador continua transtornado, e eu mais ainda! um dia isso passa...


Eu tive um tio implicante, um tio alcoólatra, um asmático, um lindo de morrer - e que morreu muito cedo - e um subjugado pela mulher.
Tive também um tio mal humorado, um pobre demais, um que não vinha em casa sem trazer os bolsos cheios de balas (o asmático).
Desses tios apenas um está conosco. É o tio gordo e guloso, cardíaco e muito religioso.
Mas o que mais tenho saudade é do tio alcoólatra. Ele deixou de beber bem antes de morrer, recuperou-se para não dar vergonha aos netos - segundo contava - e também para manter-se lúcido e útil após a morte de minha tia, sua mulher.
Era um homem encantador. Cabelos crespos, rosto redondo, sorriso de dentes pequenos como os de meu avô.
E como meu avô ele gostava de tomar vinho. Irmão de minha mãe, eram muito amigos e compadres.
Teve quatro filhos homens tentando ter uma menina.
No último parto minha tia deu um basta! - não fico mais grávida, sei que será menino!
E ficou decretado aí o fim  do grande sonho de ter uma menina, como eu...que ele amava e cobria de mimos.
Me carregava, jogava pro alto, beijava e fazia cócegas. Levava no armazém para comprar doces, penteava meus cabelos, e dizia sempre, sempre que me abraçava:-  minha menina linda!
Com o passar do tempo fui amadurecendo e percebia quando ele estava embriagado, isso me inibia, mas ele insistia em me beijar, me abraçar...contar historias de quando eu era criança.
Eu não gostava de encontrá-lo nesse estado, sofria com minha tia e primos, mas tinha uma grande pena  daquele homem bonito e carinhoso.
Quando meus filhos nasciam  esperava uns dias e ia visitar-me, levando sempre um pedaço de tecido, como era costume, para que eu fizesse lençóis ou fronhas para o bebê.
Quem sabe uma colcha? sugeria ele com sua voz doce e baixa...
Ao atingir os cinquenta e tantos anos parou de beber, parou de andar muito pela cidade e - tenho certeza - perdeu o brilho do olhar, a lucidez o incomodava,  a vida já não tinha tanta graça.
Quando morreu eu estava longe, morando em outra cidade, papai me avisou muito tarde, já não havia tempo de chegar.
Hoje me lembrei bastante dele ao ver um anexo que recebi de um amigo. Há pessoas que passam pela nossa vida tão de leve, tão ao largo, que mal nos lembramos de seu olhar, de seu sorriso.
Meu tio "Zé" não foi assim. Ele marcou, passou bem ao lado, segurou em minhas mãos inúmeras vezes, beijou meu rosto outras tantas. Difícil esquecer, fácil sentir saudade e vontade de voltar a abraçar e ficar quietinha, enrolada em seu colo, sentindo seus dedos em meus cabelos.
Esse foi meu tio preferido - entre tantos- um dia falo do asmático, do gordo, do mal humorado, do lindo...
Ah! e tem também aquele que a mulher mandava nele, e como!
E acreditem, eu adorava aquela tia...fofa demais!

27 comentários:

  1. Uma homenagem carregada de boas lembranças e saudade também.
    Às vezes pode até doer, mas é tão bom ter pessoas que nos marcaram para recordar. Beijo

    ResponderExcluir
  2. Lindíssimas recordações dos tios...eu também tive vários, e assim como os seus, cada um à seu modo. Tive um também que bebia e era muito bonzinho e tinha lindos olhos azuis. Mas eu não saberia escrever sobre eles com tanta poesia...

    Belíssimo texto, minha querida...
    Um beijo com carinho (quanto à presença no blog, nem precisa se preocupar).

    Liz

    ResponderExcluir
  3. Que linda história a sua, Ivani. Obrigada por contar. Ela me trouxe à lembrança meus tios queridos, também. Tive poucos, apenas quatro. Dois morreram tragicamente. Apenas um deles está vivo. É lindo e tem olhos azuis. Na juventude costumava desenhar e tocar acordeon... Quanta saudade!

    Beijos,

    Eneida

    ResponderExcluir
  4. Como sempre, seus post são cheios de pureza e sentimentos.
    Falar de tios...nossa, eu tenho tantos, cada um com suas peculiaridades, mas que amo demais.
    Bjo no coração

    ResponderExcluir
  5. Que texto gostoso...
    E depois diz que não escreve tão bem...tá bom!
    Não me lembro deste tio. Acho que eu era muito novinha...mas que linda história (ou estória?).
    A lucidez, às vezes, incomoda mesmo...
    Eu imagino que para algumas pessoas, chega mesmo a doer...então escolhem essa vida de torpor...mas sem deixar a doçura, o carinho...que é o que marcou você nessa relação tão delicada.
    Um beijinho!!!

    ResponderExcluir
  6. O seu texto vem do céu carregado de doces memórias.
    Não lembro os meus tios, passaram ao longe, não me marcaram.
    Que pena!
    beijo da Nina

    ResponderExcluir
  7. Olá Ivani
    Adoro ler os seus textos!
    São doces lembranças da infância contadas de uma maneira que só você sabe retratar.
    Eu também tenho doces lembranças dos tios, tive um que era hipocontríaco, uma figura!
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  8. Minha querida Ivani,boa noite!!!

    Delicioso o seu texto,amiga,com suas lembranças a nos encantar e conduzir ao teu mundo da infância...linda infância.

    Tenho também muitas lembranças dos tios e mais ainda de uma tia que povoou de sonhos a minha vida de criança.

    Bjsssssss e muito carinho,
    Leninha

    ResponderExcluir
  9. Ivani, tenho tantos tios...maternos são 12 (casais) e paternos 7 (casais)...tantos primos e primos de segundo grau.....menina, uma loucura!!! Festas sempre são lotadas...uma farra!
    Adorei ler suas recordações!
    Vc está melhor?
    Beijos!!!
    Bela

    ResponderExcluir
  10. AI QUE FOFA O SEU JEITINHO DE FALAR DELES, MUITO MEIGA VOCÊ ERA PARA COM ELES NÉ, LINDAS LEMBRANÇAS, O NOSSO ÚNICO TESOURO DESSA VIDA SÃO AS LEMBRANÇAS.
    PARABÉNS...

    ResponderExcluir
  11. Como são boas essas recordações...E esse tio Zé deve ter sido muito carinhoso mesmo e no seus dias normais devia te deixar muito acarinhada e feliz...
    Sempre são lindas as histórias de vida! beijos,tudo de bom, obrigado pelo carinho. A minha ansiedade é grande, amanhã é o dia e vamos que vamos. Ele está bem, faço de tudo pra o deixar calminho e tranquilo e sempre confiante...beijos,chica

    ResponderExcluir
  12. Oi minha querida
    Me comoveu com a vida do seu tio! Eu também tenho ótimas recordações dos meus mas não saberia classificá-los tão bem como você !Mas é uma grande escritora e seu pensamneto voa com as palavras bem colocadas.
    Amei minha querida!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Ivani, querida,

    Vou resumir: texto delicioso e sensível! E dá margem para muitas reflexões, tanto aquelas sobre as complexidades da vida, quanto as triviais, como as simples manifestações do amor.

    Beijoca e bom dia!

    ResponderExcluir
  14. moça querida, vim te ver e acabei conhecendo o Tio Zé, que lindo, que pessoa cheia de doçura, e com ela deixou em você essas doces lembranças que nem mesmo a bebida conseguiu apagar... Tios assim a gente lembra com essa saudade aí, saudade de colo, de mimo, de carinho e de tanto amor...

    Ivani, seu jeitinho de escrever é muito especial, é emocionante te ler e sentir contigo as emoções que a vida nos dá...

    Um beijo bem grandão!

    Lindo dia pra ti, aqui tudo cinza, mas o coração tá azul!

    Su.

    ResponderExcluir
  15. Ivani, os tios e suas características tão marcantes para as crianças. Eu tinha de pedir "benção" para todos eles, era uma fila de sobrinho, família de italianos, sempre numerosa. A gente saia da missa de domingo e começava a via sacra da benção. Os tios mais interessados nos assuntos da roça e nós berrando "Benção tio". Acho que a vontade deles era de nos dar um tapa na orelha. rsrssss...
    Adorei, você escreve com a alma. ah, e por favor, coloque as dicas da tia mandona, preciso de umas técnicas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. OI, IVANI QUERIDA!!! Que bacana sua relação com a família de tios, AMEI !!!

    BJSSSSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  17. Ivani, voce e das minhas: memorias sao fundamentais. Sorte da tua familia de ter voce por perto para relembrar historias.
    Jo

    ResponderExcluir
  18. Que delicia de texto, recordações, nossa eu amo isso, como é delicioso voltar ao passado relembrar pessoas queridas, no teu caso seus tios, que beleza, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  19. Muiiiittttoooooo boooommmmm!!!!!!

    Ju só ela tinha dúvidas em escrever.....ah, tanto faz histórias ou estórias tudo esta certo desde que sejam contadas por pessoas como a Ivani....

    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Ivani, vem participar de um sorteio que estamos promovendo, de duas bandejas lindas e delicadas. Te esperamos.
    Beijos da Sandra e da Schandra
    madeiraemforma.blogspot.com e schandramosaico.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. OI AMIGA QUERIDA!!!!
    ESTAVA MORRENDO DE SAUDADE DE VIR AQUI.
    QUE BOM ESTAR DE VOLTA, SUA AMIZADE É MUITO IMPORTANTE SEMPRE.
    LINDO POST, AMEI DE PAIXÃO!!!!!!
    QUANTA HISTÓRIA PARA CONTAR, LEMBRANÇAS E RECORDAÇÕES.
    SUA FORMA DE ESCREVER ME SURPREENDE E ME DEIXA COM SORRISO NOS LÁBIOS.
    BEIJINHO

    ResponderExcluir
  22. Olá Ivani
    Mais uma história cheia de emoções, que coisa bonita. Muito engraçado vc ter se tornado a "menininha" do seu tio, já que ele só fabricava rapazes... :)
    Houve uma frase que achei muito forte: "a lucidez o incomodava". Tb tive casos de alcoolismo na minha família, e sei o quanto isso é problemático, mas a verdade é que a lucidez por vezes incomoda, e muito, por isso compreendo as pessoas que sentem a necessidade de se evadir da realidade. Não é solução, mas eu compreendo essa necessidade.
    Bjs

    ResponderExcluir
  23. rrss que grande colecção de tios ...e todos diferentes

    Um abraço

    ResponderExcluir
  24. Estou voltando agora após a cirurgia do maridão.

    Tivemos alta hoje e sempre que der um tempinho virei aqui e nos amigos...beijos,chica e obrigadão!!!

    ResponderExcluir
  25. Ivani querida
    Vc sempre me emociona e este post me deixou mais emcionada ainda...
    Que lindas recordações.
    Que tido querido!
    AMEI
    Grande beijo no seu coração

    ResponderExcluir