quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

e quem não tem?





Sou uma romântica incurável, patológica, e adoro ser.
Hoje recebi dois recadinhos deliciosos, falando de Valentine's day. Um de minha amiga blogueira Tina, baiana arretada, doce e terna Tina. Podem ler o recadinho dela nos comentários de minha penultima postagem, que fala de solidão.
O outro foi por e.mail, de um amigo, que enviou em anexo (PPS) a música La Mer , tocada por Ray Conniff.
Alguém conhece?
Senti uma onda de nostalgia, um misto de sentimentos estranhos, um não sei quê gostoso, não consigo explicar.

Tem gente embarcando no dia dos namorados lá do hemisfério norte e trazendo para cá algumas idéias, deliciosas aliás, de como comemorar.
Não tenho com quem comemorar, por isso o título da postagem rsrsrs

Mas o que senti hoje, que me perdoe meu saudoso, querido marido, não foi da época de meu namoro com ele.
Foi antes, foi do primeiro namorado, daquele amor que te pega na curva e te deixa boba, literalmente...

O Luiz sempre soube desse namoro antes dele, inclusive estudávamos no mesmo colégio, mas não gostava que eu falasse sobre isso.
Ele sabia que tinha sido muito importante, marcante, afinal, primeiro amor a gente curte muito (contanto que voce não se case com ele rsrsrsr).

Verdade! se voce se casar com seu primeiro namorado, como saberá o que é uma dor de cotovelo? um pouco caso? um ciume doentio da garota mais bonita da fanfarra?
Como saberá o que é ficar esperando ser "tirada" para dançar, e só ficar tonta de alegria quando ele chegava, sorrindo, cantando junto La mer???

Toda mulher precisa conhecer essas emoções fortes, essas dores de amor, e depois levar um fora...
Assim, saberá como se comportar com o segundo (esse sim vira marido) e não dar tanta bandeira, e ser mais altiva, mais senhora de si, segura!

E uma mulher segura conquista muito mais do que uma debiloide apaixonada...

Enfim, espero que o Luiz entenda que precisava contar isso para voces e não fique enciumado onde quer que esteja.
Afinal, não foi nada demais, mas foi inesquecível e serviu de trampolim para sermos felizes a vida inteira, eu e ele.

Beijos para voces, bom Valentine's day.


44 comentários:

  1. Ivani, logo que nos encontramos por estes caminhos virtuais, você me sugeriu esta música - La Mer! Linda, apaixonante, combina mesmo com este dia de São Valentim.
    Ah! Esses amores, o primeiro especialmente, nos fazem devanear, ficar absolutamente tontas, bobas para melhorar depois!
    Luiz há de compreender mesmo com uma pontinha de ciúmes!
    Beijo querida ( dizem que hoje também é dia internacional do amigo; não importa, você é amiga maravilhosa! )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é mesmo, eu me lembro que indiquei La mer para voce em um comentário...
      sempre foi minha musica favorita, é linda!
      beijos

      Excluir
  2. Que lindo,.Ivani! A música ótima! E essas recordações do primeiro amor ficam pra sempre, ainda mais porque com eles nem convivemos. Ficou no plano das expectativas e ilusões de meninas, somente,né? Adorei te ler! beijos,lindo sempre aqui! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. então Chica querida, só na ilusão, mas como era dificil entender isso naquela época! hoje parece tão mais fácil...
      beijos

      Excluir
  3. Ele entende sim, sua conta com ele sobra troco e tem gorjeta...rsrs
    Não conheço a música, vou ouvir.

    Qto a ser o marido o segundo amor, é interessante a teoria, mas o segundo ou o primeiro que te pegou na curva, ou o décimo, não acho que exista uma regra, uma receita de bolo, gosto da teoria das metades da laranja, elas existem e quando se juntam há os dias de azedume e de pura doçura, naturais e gelados e é na administração das variáveis que ele é a vitamina fortalece e enamora as duas bandas.

    Adorei um tal de Lenço dos namorados, que vi por ai nesses posts Valentin´s lover´s
    Mais precisamente, vi aqui: http://catarinaregina.blogspot.com.br/2013/02/lencos-dos-namorados-portuguese-folk-art.html
    Preciso urgente aprender a bordar :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. também vi sobre os lencinhos dos namorados, lá no blog da Regina, aliás, uma coisa linda!
      sua teoria da metade das laranjas também é válida Tina, já pensei nisso também, sei lá...nem sei mais...
      beijos querida.

      Excluir
  4. Oi, querida,

    Amo esta música! E digo mais, acho que a versão do Ray Conniff, que nem sequer é cantada, é a melhor (dizem que esta música tem 400 vesões, eu só conheço umas 5, rsrs).
    Vou dizer uma coisa: se o meu marido me faltasse (que Deus o livre de uma morte precoce, rsrs) acho - sinceramente - que não voltaria a me casar. Casamento é bom, sobretudo se há amor. Mas tem também as suas exigências e o estar só também traz muitas possibilidades, devido à disponibilidade de tempo e condições. Acho que tentaria me dedicar a outros interesses, amores de outra natureza, acreditando já ter exeperimentado o amor conjugal, rsrs.

    Um beijo e boa noite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo com voce Marli, a nersão de Ray Conniff é a melhor. Lembro-me de ouvir cantada, com Edith Piaff.
      è linda, a nossa professora de francês (naquela época era obrigatorio) fez a tradução.
      lembro-me do inicio, mais ou menos assim:" o mar, que vem dançar, ao longo do golfo claro...o mar, de azul tão puro, reflete seus olhos, ..." não me lembro mais.
      Marcou muito, e a voce também, que bom! beijos amiga.

      Excluir
  5. 'experimentado', o dedo escorregou no 'e', rsrs.

    ResponderExcluir
  6. Oi amiga!Gostei do título e amei sua sinceridade, meu marido também não foi meu primeiro amor...pronto, falei!Espero que ele não leia isso, vai ficar uma fera!Então meu primeiro amor foi o...ah nem vou dar seu nome,mas durou 4 anos, da quinta a oitava série!Lindo!Nunca passamos de um beijinho embaixo de uma árvore,nem ao cinema fomos...pura inocência!!HUM!!SUSPIREI!!Bjs e obrigada por ter me feito lembrar do J!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkk! que legal voce abrir assim o coração!
      ele não vai ler não...
      beijinhos debaixo da árvore kkkkk que delicia de lembrança!
      pelo visto essa postagem vai botar o coração de muitas amigas na boca! beijos linda.

      Excluir
  7. Li e reli teu texto, muito bom, mas viajei quando falaste em esperando ser "tirada" para dançar...
    Nossa, quanta coisa rolou pela minha cabeça, às vezes o príncipe passava a noite toda em frente ao bar ou na beirada da pista de dança e, só "tirava" para dançar quando metade da orquestra já estava ameaçando guardar os instrumentos, ou nas reuniões dançantes o dono do toca-discos portátil já havia guardado quase todos os discos e restavam umas duas ou três míseras músicas que eram sorvidas como os sons do paraíso.
    Obrigada por novamente despertares doces recordações.
    Beijinhos,
    Beth

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e não era bem assim mesmo Beth? ai que raiva quando eles se faziam de "gostosos" e deixavam para tirar a gente só depois de tantos olhares que chase ficavamos vesgas.
      Só por Deus mesmo!
      ótimas lembranças, beijos.

      Excluir
  8. Adorei e achei muita graça da "debiloide apaixonada". É bem por aí. No primeiro amor a gente é uma debilóide mesmo. Medo de dar fora (não que isso passe com os outros...kkk), medo de não saber beijar, de pegar na mão. Te ficar a noite inteira esperando o debilóide vir te tirar para dançar...
    Fora aqueles amores platônicos. Meu Deus, quanto sofrimento....kkk.
    Olhando para trás hoje em dia, vejo que estou muito melhor com meu marido (que não foi o primeiro amor) do que com aqueles frios todos na barriga.
    Adorei seu texto. Olha quanta coisa você me fez relembrar...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nem me fale em amor platônico Maristela, quanto desperdicio não?
      kkkkkkkkkk!
      relembrar é viver amiga, eu adoro! beijos

      Excluir
  9. PARECE QUE QUASE NINGUÉM CASA COM O PRIMEIRO AMOR... É MEIO UTOPIA O PRIMEIRO AMOR??? OU NÃO FOI AMOR DE VERDADE???

    BJSSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. foi sim de verdade, acho até que foi o mais importante, o mais "sentido".
      e voce, não vai nos contar sobre o seu primeiro amor?
      fica só entre nós...
      beijos

      Excluir
  10. Nada como o primeiro amor!nao por ter sido perfeito, que de perfeito nao teve nada, mas porque foi o primeiro, quando a gente quer morrer de dor ou levitar de felicidade.
    Deus me livre e guarde de ter casado com ele. Hoje seria uma (atraente, passo a imodéstia...) divorciada. Mas que foi arrebatador, lá isso foi.
    Quanto ao dia dos namorados, é engraçado, mas nao levo a sério. Um jantar, uma prendinha, uns beijinhos ! É engraçado, só isso.
    Beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gostei da "atraente divorciada" kkkk voce é mesmo demais!
      e soube colocar em uma palavra o sentimento todo: levitar"
      é isso, levitar de felicidade!
      quantos conseguem isso?
      beijos querida, é engraçado mesmo!

      Excluir
  11. Tens o condão de tocar os corações com a tua escrita, com as tuas memórias.
    O meu grande amor não foi o primeiro, foi o pai da Aprendiz. Foram 7 anos de paixão, amor loucura, depois, depois não sei as coisa mudaram, eu mudei, ele mudou, e eu que sou de pêlo na venta um dia resolvi sair de casa.
    Achava que iria ficar velhinha ao seu lado, não aconteceu... não escondo de ninguem e os que são próximos de mim conhecem a história.
    Quanto ao meu poste, não disse nenhum palavrão lá :(.
    É engraçado a diferença no nosso Português.. lol.
    Beijinhos grandes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por contar sobre seu grande amor.
      Gostei de saber um pouco mais de voce, e de uma maneira tão sincera.
      Vejo que esse assunto ainda daria muitos papos gosotsos, vou voltar nele kkkkk
      quanto ao palavrão eu adorei, ri muito.
      são as diferenças do nosso português, raios!
      beijos querida.

      Excluir
  12. Oi queridinha.

    Você sabe quem foi meu primeiro amor, mas ela nunca ficou sabendo.

    "O Céu se abriu mostrando
    Uma linda menina
    Pela janela vi um grande amor chegar
    Tão belo e sem malícia
    Tão puro e inocente
    Um lindo amor de adolescente
    Sentimento capaz de superar
    Grandes barreiras
    Atravessar o tempo
    Ir além da imaginação
    Por muito tempo
    Guardado no coração
    Um amor movido por lembranças
    Por um lindo sorriso
    Um rostinho angelical
    Um jeito meigo de ser
    Uma mulher especial
    Impossível esquecer
    Sempre será meu
    Primeiro e eterno amor..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. jura que voce nunca contou para ela?
      eu pensei que voces tivessem falado de amor, feito promessas.
      então foi uma coisa bem sua mesmo em?
      e esses versos mostram que eu consegui meter o dedo na sua ferida em mano?
      voce anda muito romântico ultimamente, cuidado em? o coração já não aguenta mais tanto sofrer...
      beijos querido.

      Excluir
  13. Mais uma vez que delícia q é ler um texto seu.
    Você tem toda razão, o primeiro amor a gente nunca esquece, e realmente pode ser um trampolim para saber viver um amor de verdade.
    Quanto à música, como não se sentir apaixonada ao ouví-la? É linda, é um clássico.

    ps.: realmente, hoje os brasileiros andam copiando muito as coisas de estrangeiros e algumas vezes sem entender bem o significado das coisas - Valentine's Day não é como o Dia dos Namorados. Pelo menos como é comemorado aqui. Significa o dia do Amor, não necessariamente o amor romântico entre 2 pessoas. Todo mundo deseja 'happy Valentine's Day' pra todo mundo, portanto querida Ivani não se sinta mal por que você tem com quem comemorar o Valentine's Day sim, comemore com seus amigos, com sua família, e não se esqueça, Valentine's Day tem que ter chocolate, muito chocolate, rsrsrs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só, eu não sabia que o Valentine's day é o dia do amor, não apenas dos namorados.
      Vivendo e aprendendo!
      Tem razão, podemos comemorar com amigos e familiares, não apenas com um parceiro.
      Tenho a impressão de que vai "pegar" aqui no Brasil, onde todos adoram comemorar alguma coisa rsrsrs.
      Beijos Regina, obrigada.

      Excluir
  14. ai amiga que doces recordações,
    não sei o significado de fanfarra, mas intui rsrs
    eu vivi todas essas emoções, muitas vezes, quando conheci
    meu italiano, tinha 24 anos, e era jà desiludida com o amor, porque tinha tido algumas historias,com homens irresponsáveis e imaturos.
    tenho certeza que seu marido não vai se zangar com vc não, afinal esse amor foi um ensaio que te preparou para viver o seu verdadeiro amor

    bacione

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois é Fifia, minha teoria não é falha né? nada como alguma experiência na vida para ser mais feliz e segura.
      Fanfarra é uma banda com instrumentos, de colégio, que participa de desfiles em datas especiais.
      Um beijo amiga italiana, boa semana.

      Excluir
  15. Eu amo La Mer, tocada pelo conjunto de Ray Conniff.
    O maravilho Ray Conniff que tudo que tocava era sucesso.
    Mas La mer lembra uma paixão minha por um professor de cursinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dificil encontrar alguém que não tenha uma lembrança, gostosa, relacionada a Ray Conniff.
      La mer foi mesmo uma das melhores. Beijos querida.

      Excluir
  16. Oi! Voltei pra dizer obrigada pela receita da salada. Qualquer dia desses vou fazê-la.

    ps.: estou aqui ouvindo Put your Hand on my Shoulders, música daqueles bailinhos antigos, você conhece?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se me lembro dessa música? voce está ouvindo com Paul Anka?
      é uma das mais bonitas daquela época!
      foi mesmo uma fase de ouro, as musicas eram muito romanticas e melodiosas.
      Faça mesmo a salada, voce vai gostar.
      Beijos Regina querida.

      Excluir
  17. Oi, Ivani!!
    Ouvia Ray Coniff quando pequena por conta do bom gosto dos meus pais! Ainda gosto mas não tenho nada dele...

    Ó vim convidar pro SORTEIO que
    tá rolando no meu blog Caderno de Recortes.
    Bora lá participar!!
    Beijins,
    Andrea

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Andréa, vou lá sim para participar, um beijo e obrigada.

      Excluir
  18. Oi Ivani, lembra de mim?...rsrs

    Voltei e tenho casinha nova, vai lá me visitar tá?

    Ahhhhh, o primeiro amor .... rsrs

    Bjs querida!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jack, que saudade de voce! vou lá sim, prometo!
      lembrou também do primeiro amor né? lkkkkk beijos

      Excluir
  19. Ivani, querida, haja paciência e bom humor!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. isso temos de sobra não é mesmo? beijinhos também.

      Excluir
  20. Ivani
    que bom ouvir La Mer e recordar do primeiro amor,embora não tenha sido o segundo. O primeiro fica no campo do platônico, mesmo porque não se comeu um quilo de sal junto.(um velho ditado)
    As músicas tem essa magia de transformar as belas e ruins emoções em recordações maravilhosas.
    O meu primeiro namorado me deu um fora, por um pombo correio. hahahah e anos depois perguntou se ainda tinha chance comigo. Ainda bem que não tinha música!
    beijinho
    Zizi
    obrigada pelo carinho que tem manifestado comigo la no blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. por um pombo correio? kkkkkkk voce surpreendeu agora!
      e ainda pediu uma segunda chance? cara de pau!
      eu é que agradeço o seu carinho sempre, beijos amiga.

      Excluir
  21. Vinha ver novidades, não há!. Deixo um beijinho...

    ResponderExcluir
  22. Obrigadão,Ivani e essas chuvaradas transtornam toda a vida,né? Que coisa! E o resto do dia foi lindo mesmo! beijos,boa noite,chica ( E as tonturas? Passaram?)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não são tonturas Chica, é alergia kkkkkk!
      mas tá bom, o importante é que voce se lembrou que eu não estava bem kkkkk.
      beijos querida

      Excluir
  23. Ivani, você é um amor de pessoa.
    Um beijo no seu coração
    Manoel

    ResponderExcluir