domingo, 6 de janeiro de 2013

Coincidências



Vamos falar sobre coincidências, dolorosas coincidências.
Em meados do ano passado meu irmão Marcio despediu-se de sua cachorra, depois de uma interminavel doença, meses de sofrimento, muita dor.
Uma amiga que partia. Samantha era branca, grande, a cara achatada e um dos olhos com uma mancha preta, como um tampão de pirata. Deixou saudades, muitas fotos, lágrimas.

Fazem uns dois meses que chorei junto ao meu mano, o Edison, quando seu cachorro querido morreu.
Foi um súbito mal do coração que levou o Sebá, o lindo e negro Sebastian, de pelo brilhante e grandes orelhas.
Meu irmão ficou inconsolável, eram amigos pra valer, conversavam e brincavam muito. Todos em volta ficamos muito tristes.

Na semana passada minha irmã me telefonou aos prantos, tinha morrido a Lua, sua cachorrinha linda, de olhinhos tão pequenos e negros, orelhinhas espertas.
Lua era tão pequena, tão branca, tão delicada. Não me lembro de ver minha irmã sem ela no colo, ou ao lado no sofá, ou deitadinha aos seus pés.

Animais assim são muito especiais, e quando se vão deixam uma sensação de perda como se fossem humanos, ocupavam um espaço na casa, no coração.
E o nosso Biriba está muito doente. Vive com minha filha desde que mudei para um apartamento.
É um tremendo vira-latas, castanho, bonito e simpático.
Amoroso, amigo e brincalhão. Mas está muito doente, sabemos que viverá pouco entre nós.
Estamos fazendo o possivel para dar-lhe tranquilidade, para que não tenha dores, estamos cuidando dele.
Ele nos ama de maneira incondicional, fiel. Cuidar é o mínimo que podemos fazer por ele.

Incríveis coincidências essas de sermos irmãos e estarmos assim, envolvidos e emocionados por nossos cães que se foram ou estão por ir.

A amizade de uma pessoa por seu cão,  e as lágrimas que ela derrama por esses seres queridos, silenciosos e fieis, faz-nos sentir que o mundo ainda é bom, tem muita coisa boa para se ver, e viver.

esse é o nosso Biriba, lindão!



21 comentários:

  1. Ivani,sei bem o que é isso.Quando perdi a CUCA I, com 15 anos que tinha, foi terrível. Jurei nunca mais querer outro e meses após surge a CUCA II que é a danadinha dos dias de hoje, mas já está com quase 11 anos.

    Eles são verdadeiramente parceiros, amigões.Só querem carinho e cuidados..

    Que teu BIRIBA não sofra, vamos pedir. Tomara fique bem ainda o tempo que for,alegrando vocês!


    beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Ivani, querida, comovi- me com a tua narrativa. Claro que apenas somos susceptíveis aos ciclos da vida, claro que sim, mas o grande problema, a grande crueldade, o supremo prazer, são os afectos. Nos apaixonamo- nos e, como toda a gente sabe, quem se sujeita a amar, sujeita-se a padecer. E como, e quanto se padece com essas perdas!
    O caminho, o paliativo, creio que será dar amor a um novo bichinho.

    Adorei o teu comentário. És uma pessoa muito, muito linda.
    Beijo da Nina

    ResponderExcluir
  3. Não é exagero não, eles fazem parte da família, quando se vão deixam um imenso vazio.
    Proporcionar ao seu Biriba conforto é todo o seu amor e de sua família por ele.
    São amigos inesquecíveis.
    Beijo

    ah! não estou na Bahia não! é só uma foto de côco, bem que eu queria!

    ResponderExcluir
  4. Ivani, quando morre um dos nossos animais, sinto que morro um pouco.
    Este ano que passou perdi minha gata Sara Jéssica.
    Preferi sacrifica-la para não deixa-la sofrer.
    No ano anterior, perdi minha gata Samantha.
    E já perdi 2 cadelas que amavamos muito.
    O que faço, sempre, é documentar com fotos, a vida delas conosco.
    Não sei o que Biriba tem. Mas lembre-se que sacrificar é uma forma de amar.

    ResponderExcluir
  5. Triste e comovente.
    Tanto as perdas quanto a sucessão delas, como que em sintonia vcs estão compartilhando e vivendo a mesma dor, como irmãos, como revelação da ligação que há entre vocês, com a tarefa divina de aprender e ensinar sobre a perda, sobre o amor para com quem fica e a permanência eterna do sentimento e dos momentos vividos seja entre os cães e vocês.

    "Palavra que conforta
    Silêncio que respeita
    Alegria que contagia
    Lágrima que corre
    Olhar que acaricia
    Desejo que sacia
    Amor que promove
    E isso não é coisa de outro mundo
    É o que dá sentido à vida
    É o que faz com que ela
    Não seja nem curta
    Nem longa demais
    Mas que seja intensa
    Verdadeira, pura
    Enquanto durar"
    Cora Coralina

    ResponderExcluir
  6. Sinto muito por saber dessas perdas e por seu cachorro Biriba. Esses nossos companheiros de jornada são muito especiais e não é fácil quando temos que enfrentar esse momento. Ano passado foi a vez de nosso Valente despedir-se com 14 anos. Um lindo e meigo labrador preto que nasceu em casa, filho de nossos 2 primeiros cachorros na vida, então não foi fácil ( nunca é) Passamos meses cuidando dele, como de um idoso que aos poucos se vai. Não foi fácil, mas digo a vc, faria tudo outra vez, só para ter a alegria e o privilégio de conviver com esses incríveis seres de 4 patas, capazes de nos ensinar tanto sobre como amar. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Perder os nossos amigos de quatro patas doi muito.
    a gente se apega a eles da mesma forma que nos apegamos a amigos( e não me digam: ahh são apenas animais!..) não não são. São nossos companheiros, nossos confidentes até e sentem quando estamos tristes e alegres.
    Que ele sofra o menos possivel...junto de voçês.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  8. Querida Ivani, fiquei chateada com as coincidências dolorosas que a família está passando.
    Desculpe-me e não desejando polemizar, mas não concordo com Liliane de Paula quando diz que uma forma de amar é sacrificar. Sacrificar, apenas quando o ser não aceita alimentos ou água, enquanto isso é nossa obrigação cuidar até o fim. Não concordo também com tratamentos ou exames invasivos apenas com finalidade de prolongar a vida e isso tanto para humanos quanto animais.(minha opinião).
    Querida, hoje vocês estão sofrendo juntos, então sugiro para alegrar suas vidas, a adoção por cada um, de um vira-latas pois tantos precisam de lar e acredite, são fantásticos companheiros. Pena morarmos tão longe pois tenho três em casa aguardando adoção responsável!
    Beijos, fiquem bem.

    ResponderExcluir
  9. Oh, minha querida, sei bem a pressão que o seu coração sofre neste momento, pois já passei por iguais. Só de ler o post eu quase choro, portanto não sou a pessoa certa para te consolar, sinto muito!
    Porém, se é chegada a hora do lindo Biriba partir para o céu dos cães, procure consolo na lembrança do amor que ele lhes devotou e que vocês devotaram a ele. Uma amiga norte-americana costuma dizer que continuamos ligados espiritualmente aos animais que amamos, enquanto eles viviam. Diz ela que eles nos acompanham até o fim das nossas vidas, e é por isso que às vezes sentimos uma sutil impressão de que estamos acompanhados, quando estamos sós, rsrs.

    Um beijo e boa semana (se precisar de alguém para chorar junto com você é so me procurar).

    ResponderExcluir
  10. Minha querida Ivani,

    Li para minha irmã e seus olhos marejaram...nossa Ariel tem passado por poucas e boas e de todas ela se saiu bem, mas eu me pergunto: até quando? Ela já está com dez anos e é muito fraquinha, cheia de problemas alérgicos e já foi acometida pela doença do carrapato, doença esta que causa sequelas seríssimas.
    Estou com muita peninha de vcs, amiga...sei como é isto, pois já perdi três cães.Mas é a lei da vida e temos que aceitar a vontade de Deus...sofrendo, mas aceitando.

    Obrigada pela visita e perdão pelo sumiço...estive com a casa cheia e além disto com a bursite a me incomodar bastante.
    Um 2013 de muita Paz, Harmonia, Saúde e Alegrias para você e sua família.
    Bjsssssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
  11. Quelida eu compreendo, quando criança tivemos muitos cachorro que só faltava falar.
    Depois o tempo passou e eu não tive mais bichinhos em casa até que minha filha trouxe um Hanster, meu Deus ela era meu amor, me fazia companhia ( era da minha filha) mas gostava só de mim. Ela se foi com sofrimento..eu sofri tanto que falei nunca mais entra um bichinho aqui em casa...Num é que a filha trouxe a pouco uma calopsita e ela já fala...está aos poucos conquistando meu coração...
    Enfim é isto os animais são mais amigos que qq outro ser humano.
    Passando para desejar
    Ótima 2ª feira !!
    ♥ Beijos coloridos!

    ResponderExcluir
  12. Quem nunca teve um cachorro ainda NÃO SABE O QUE É UM AMOR INCONDICIONAL!!!!!

    Como é triste perde-los... dói, dói muito....

    Beijos

    Eli

    ResponderExcluir
  13. ESCREVO ENTRE LÁGRIMAS...SOFRO MUITO QUANDO SEI QUE UM AMIGO FIEL SE FOI...AS VEZES ACHO QUE PECO, SEI LÁ...MINHA MÃE DIZ QUE SIM. EU SOFRO DEMAIS COM A MALDADE CONTRA OS ANIMAIS.ACHO QUE NÃO SOU DESSE MUNDO. NA RUA, EU ME METO EM BRIGA QUANDO VEJO UM ANIMAL SENDO MALTRATADO. METO A BOCA, DISCUTO, DEFENDO.SEI BEM O QUE VC ESTÁ SENTINDO. É COMO PERDER ALGUÉM DA FAMÍLIA MESMO, E ELES SÃO.FIÉIS, ACOLHEDORES,HUMILDES, SÓ QUEREM CARINHO E AMOR. NADA EM TROCA.ESTÃO SEMPRE PRONTOS PRA NOS RECEBER COM ALEGRIA E AFETO.UM AFETO INCONDICIONAL.UM AMOR DE VERDADE.BJS.

    ResponderExcluir
  14. Oi Ivani!
    Vim até você pelo blog da Beth.
    Que lindo o que escreveu!
    Realmente, quando nossos amigos peludos nos deixam, sentimos uma dor e um vazio imensos que não é nada diferente de quando perdemos pessoas queridas. Eles são seres muito especiais!
    Gostei muito de seu cantinho e já fiquei por aqui!
    Uma linda e iluminada semana pra você!
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. OI, IVANI!
    Puxa, que dó desses cãezinhos! E que coincidência, né? Espero, sinceramente, que o Biriba melhore! Que ele possa dar fim a essa onda de tchau. Eu tenho cachorros, e já tive muitos gatos; cada um que ia embora era uma tristeza; a gente considera da família mesmo. Enqto te escrevo,o nosso Tinho, o mais velhinho tá aqui deitado, e no ar condicionado com a gente! Ele é um cachorrinho de 11 anos, e é muuuito manhoso, chora se não o deixamos entrar em casa, é da família!!!

    bjinhos mil

    ResponderExcluir
  16. a dor da perda uniu os irmãos.

    um beijo

    ResponderExcluir
  17. Ivani, minha parceira... Lamento que as coincidências entre vocês sejam tão dolorosas. Somente quem tem um cão de estimação conhece seu amor incondicional e o quanto é difícil a dor da perda. Para mim, são melhores que humanos. Não julgam, não ludibriam, não caluniam... E sabem como ninguém, perceber quando não estamos legais e consolar-nos sem a necessidade de nenhuma palavra bonita.
    Eu, devo afirmar que sempre tive dúvidas a respeito da eutanássia, porém, tive que decidir por uma e uma parceira que passou pela mesma situação me disse algo que jamais vou esquecer: "Animais não tem por que sofrer".
    Sei que a decisão é de cada um, contudo, eu concordo com o ponto de vista da Lidiani. Por vezes, a eutanásia é um ato de amor, de abrir mão do seu egoísmo e aceitar o incorrigível.
    Lindo o seu cão.

    Respondendo ao seu comentário: Sim, estou muito satisfeito no curso que escolhi e passei e, com certeza, mesmo meu blogue não sendo um blogue diário, pretendo comentar muitas coisas desta minha nova "aventura" que será entrar para a universidade.
    Muito obrigado pelas palavras de incentivo.
    Sabe qual é meu pior temor? OAB! rs.
    Mas não quero pensar muito nisso agora, deixa eu ser feliz por enquanto. ahahahah.
    Abraço parceira e força aí.

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

    ResponderExcluir
  18. Passando para desejar um dia luminoso!
    Beijo

    ResponderExcluir
  19. Ah, minha linda...
    Li este post com lágrimas nos olhos.
    Cães sempre me emocionam. Sempre convivi com eles.
    Tivemos a Caxuxa, o Doguinho, o Barão. Todos morreram de velhos. É sempre uma dor enorme, o que conforta é saber o quanto o amor deles é incondicional e quanta alegria trazem às nossas vidas.
    Neste momento escrevo com Zacarias no colo. Ele adora colo e quer sempre ficar pertinho da gente.
    Que o Biriba, este lindão, tenha tranquilidade e conforto nesta vida.
    Estou aqui sempre
    Grande beijo

    ResponderExcluir
  20. Bom dia Ivani, aqui são 7:50 de uma manhã silenciosa e brumosa.

    Sinto em saber da perda de seus irmãos, e em saber q Biriba está doente.

    Cresci sem bichinhos de estimação pois minha não permitia, mas mesmo hoje em dia, talvez por covardia, eu não quero ter. Já é tão difícil lidar com a perda das pessoas q amamos, e pensar na dor de perder um bichinho assim é simplesmente intolerável.

    Espero q Biriba se recupere, quem sabe? Milagres acontecem.

    ResponderExcluir
  21. Lamento pela perda dos animaizinhos dos seus irmãos e pelo Biriba estar doentinho. é tão triste, né?
    Nem posso falar nesse assunto. Eu não tenho netos, então transfiro para os cãezinhos. Me sinto uma avó deles. Tenho três netos dog. Sigo de longe, cada um deles e nem quero pensar quando a velhice canina chegar.
    Melhoras para Biriba! beijos Zizi

    ResponderExcluir