sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Cortina de seda



Quando terminou a leitura, sonolenta, depositou o livro na mesa de cabeceira e tirou os óculos.
Continuou meio recostada nos travesseiros e fechou os olhos.
A noite estava  avançada, quase madrugada, e o sono tão desejado não vinha.
Precisava descansar, em breve o dia  entraria pela janela entreaberta, iluminaria a cortina que agora dançava devagar, animada pelo ar fresco da noite.

Foi então que sentiu uma presença,  alguém sentava ao seu lado na cama, pressionando o colchão, fazendo com que ele cedesse um pouco, suavemente.
Não teve medo, nem abriu os olhos. Alguém estava ali, ao seu lado, e ela agradecia essa visita, sentia seu cheiro, ouvia a suave respiração.
Gostaria de estender a mão e tocar seu rosto, sentir novamente nas pontas dos dedos o formato de seus olhos grandes, o contorno dos lábios bem feitos, confirmar que sorria...sim sorria.
Mas temeu que um pequeno movimento seu o levasse de volta,  mostraria que não estava adormecida.
E ali ficou por um tempo indefinido, sentindo apenas que não estava só. E foi feliz .

Quando um vento mais forte levantou completamente a cortina de seda e trouxe frio para o quarto, seu corpo estremeceu, abriu os olhos assustada, sentiu frio.
Não havia nada por ali, apenas ela, e lá fora um vento que traria chuva, muito em breve..

Teria sonhado? andava tão cansada, poderia ter sido um sonho, tão intenso, real.
Apagou a luz e acomodou-se no travesseiro.   Sentia-se bem, afinal, sonho ou não, o que importa?
O bom era saber que o perfume dele ainda era o mesmo, e o sorriso ela tinha percebido sem olhar...


22 comentários:

  1. EU GOSTO TANTO DE LER SEUS TEXTOS...ESTE DE UMA CERTA FORMA, FEZ-ME LEMBRAR DE AMORES DA ADOLESCÊNCIA...BJS!

    ResponderExcluir
  2. Nooooooooossa, arrepiada e emocionada já cedinho da manhã ,aqui te lendo.
    Tens esse dom,guria! Descreveste exatamente até a sensação do colchão de afundar um pouquinho...

    Não importa se foi sonho ou realidade. Valeu a visita que te alegrou! Maravilha...

    Um encanto teu jeito de escrever! E por lá, claro que é só pra fazer terror com eles, que esquecemos; Assim que termina, quando ficamos sozinhos, eu perguntei pro kiko e ele me falou.Assim está seguro o segundo nome,srrs beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Ivani querida,

    Mais um de seus textos preciosos e emocionantes. Obrigada, querida amiga. Para mim significou algo mais do que palavras. Identificação. Já tive alguma experiência semelhante. Mas nunca conseguiria dizer como você diz. Obrigada, mais uma vez, é só o que consigo dizer.

    Beijos,

    Eneida

    ResponderExcluir
  4. Ivani querida, somente quem foi e é muito amada tem o privilégio dessas sensações, adormecida ou desperta!
    Beijinho,
    Beth

    ResponderExcluir
  5. Que lindo, Ivani! Que diferença faz se foi sonho ou não? O importante foi a gostosa sensação da presença. Às vezes sinto isso, sonho ou penso que sonho e depois sinto uma sensação de plenitude, de paz, tão bom...E o perfume, ah, o perfume é algo inesquecível. Me fez sentir saudades, sua danada! Adorei o texto, um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Ivani, que postagem mais linda! Nossa, adorei a delicadeza, a sensibilidade do texto e a precisão dos detalhes. Genial essa crônica. Parabens!
    Um beijo carinhoso na amiga
    Manoel

    ResponderExcluir
  7. Tão suave quanto a seda branca da cortina. E não importa se sonho ou não.
    Um roçar de seda na alma, no coração simplesmente acalenta.
    Que bom te ler. Beijo

    ResponderExcluir
  8. Voltei pra dizer que adorei o comentário nos Natais...beijos,tudo de bom,chica e um lindo domingo!Aqui, fornalha, mas vamos na Neca, todos juntos por lá hoje!

    ResponderExcluir
  9. Ivani, não sei que diga. O teu texto deixou-me sem palavras. Apenas emoção. Essa experiência enche a vida de esperança, de certeza que nenhum adeus é definitivo, que tudo pode acontecer, comprovadamente registado pelos cinco sentidos. Também eu, amiga, tudo daria para rever , voltar a sentir de forma palpável, presenças que agora são ausências.
    Não sei como dizer o quanto o teu texto me tocou.
    Beijo, beijo ....

    ResponderExcluir
  10. QUE LINDO IVANI!!! A VIDA TEM ALGUMAS SURPRESAS... A GENTE TEM QUE SABER RECEBÊ-LAS E ACREDITAR...

    BJSSS

    ResponderExcluir
  11. Minha querida Ivani,

    Estive um pouco sumida e te peço desculpas...acontece que minha vidinha tão pacata, esteve movimentada e corrida nestes dias...filhos e netos me visitando e a alegria da casa cheia por uns dias. Amanhã eles irão embora e a casa voltará ao silêncio habitual.
    Linda a sua crônica, amiga, e a sua lembrança sensorial tão viva! Eu acredito que ele esteve ao seu lado e esta sensação foi muito forte, não pode ter sido sonho ou imaginação.Acredito que os nossos queridos nunca nos abandonam e de vez em quando temos o privilégio de sentir esta presença...e você soube descrever com uma delicadeza tão grande que me comoveu.E espero que sempre sinta esta sensação gostosa que te fez tanto bem.

    Bjssssssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
  12. Nós fritamos as filhóses e logo de seguida passamos açucar amarelo junto com canela por cima, tambem há realmente quem ponha mel , eu não gosto de mel e sempre se fizeram assim com açucar e canela.
    Agora vou ler o teu texto..

    ResponderExcluir
  13. Que lindo o teu texto.
    Quem sabe ele esteve mesmo ao teu lado, sabendo o amor e as saudades que sentes.
    Beijinhos grandes

    ResponderExcluir
  14. Ri do teu comentário lá no astronauta. Mas seríamos bem assim mesmo, todas preocupadas ,tentando achá-los,rs beijos,lindo dia!chica

    ResponderExcluir
  15. Tão bom receber os teus comentários! Tão bom!
    Obrigada, querida.

    ResponderExcluir
  16. Parabéns, você consegue em palavras descrever sentimentos profundos. Sensações vividas. Fantástico.
    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Ivani, gosto demais de teus escritos! Muito mesmo!É um passeio encantador ficar acompanhando tudo detalhadamente! Obrigada pela sua presença, sempre! Beijos natalinos!

    ResponderExcluir
  18. Bom dia, amiga!
    Passando para deixar um beijo.

    ResponderExcluir
  19. oi ivani! amei o texto, muito lindo! está de parabéns! bjs!

    ResponderExcluir
  20. Me arrepiei agora. Quanta doçura nesse texto, realmente o que importa se foi sonho, ou não. O importante foi o sentimento que aquela pessoa trouxe com ela.

    ResponderExcluir
  21. Ivani, querida,

    Nossa, perdi este texto, desculpe, é que tenho estado mais fora que dentro da Internet, rsrs. Mas já o recuperei e me senti novamente irmanada a você, no que se refere às vivências, digamos,transcendentes, rsrs. Quero dizer que acredito em coisas ainda não explicáveis e em comunicações, sei lá, psiquícas, rsrs. Em sonho ou não, você viveu momentos especiais, que de certo modo modificaram o seu dia, não é verdade?

    Beijo

    ResponderExcluir
  22. Minha querida, nem sei porque me surpreendo com tuas palavras ainda...será que algum dia vou ficar assim tão sábia? Me ajuda? Ter fé, sem racionalizar, só sentir, qual o sentido de tudo, não é? Bjoooooo

    ResponderExcluir